domingo, 4 de outubro de 2020

Pandemia (30): Comparativamente bem

 

1. Esta tabela (cortesia de Rosalvo Almeida) representa o número de infeções verificadas nas últimas semanas por milhão de habitantes em vários países do ocidente europeu e mostra que, embora estando a subir, como em quase todos os outros, os números de Portugal comparam bem com outros países, nomeadamente com a Espanha, a França, a Bélgica e os Países Baixos, embora menos bem com a Itália, a Suécia e a Alemanha. 

São, portanto, descabidas, por enquanto, as ideias de "descontrolo" da pandemia e a insegurança que elas alimentam.

2. Importa também não esquecer, como têm observado fundadamente vários analistas, que os números de agora não podem comparar-se com os de março e abril, como os média fazem todos os dias, pela simples razão de que hoje a realização de um número muito maior de testes deteta muito mais infetados assintomáticos do que antes, pelo que os números do pico da pandemia estavam seguramente muito subestimados. 

É essa, aliás, a principal razão por que hoje há muito menos internados e menos óbitos proporcionalmente aos infetados.